Arquivo | Salgados RSS feed for this section

Risoto de alho poró e salmão grelhado

28 jun

blog2

Clique na imagem para amplia-la

Como falei aqui estou tentando incluir mais peixes na minha alimentação e claro, estou começando por aqueles que eu já gostava, assim a mudança não será tão radical. Dessa vez decidi fazer um salmão grelhado acompanhado de um risoto de alho poró com toque de limão.

É uma comida rápida, fácil de ser preparada e pode te salvar naqueles dias de visitas inesperadas ou simplesmente para fugir das comidas típicas do nosso dia-a-dia.

Ingredientes:

1 xícara de alho poró cortado em rodelas finas

2 dentes de alho amassados

1 xícara de queijo parmesão ralado

1 ½ xícara de arroz arbóreo

1 litro de caldo de legumes

Suco de meio limão

1 colher (sopa) manteiga

1 colher (chá) de lemon pepper**

500g de salmão

Comece temperando o salmão e colocando para ferver em fogo baixo o caldo de legumes, que pode ser o caseiro ou 1 tablete dissolvido em 1 litro de água. Para temperar o salmão não tem segredo nenhum, polvilhe sal e pimenta do reino dos dois lados e reserve.

Em seguida, refogue o alho e o alho poró em um fio de azeite até que fiquem transparentes e adicione o arroz arbóreo. Acrescente o lemon pepper e continue refogando por cerca de 2 minutos. Adicione uma concha do caldo de legumes e mexa até quase secar. Repita esse procedimento (mexendo sempre) até que o arroz esteja macio (cerca de 20 minutos). Quando adicionar a última concha do caldo coloque também o suco do limão. Desligue o fogo e adicione 1 xícara de parmesão ralado e 1 colher de sopa de manteiga (para dar cremosidade). Sirva em seguida.

Quando o arroz estiver quase cozido grelhe o salmão. Em uma frigideira antiaderente bem quente adicione um fio de azeite e acrescente o salmão. Deixe 3 minutos de cada lado e pronto.

** lemon pepper é um tempero pronto encontrado, geralmente, em casas especializadas. Mas você pode substituir por sal, pimenta do reino e dobrar a quantidade de limão da receita.

Obs: Você pode grelhar o salmão antes do início do preparo do risoto e deixa-lo aquecendo no forno (em temperatura mínima) enquanto prepara o risoto. Apenas certifique-se de deixar menos tempo na grelha já que ele ainda vai ao forno.

Essa receita servem duas pessoas.

Bom apetite!

Bacalhoada ao forno

19 jun

blog4

Clique na foto para amplia-la

Quem me conhece sabe que eu não sou a maior apreciadora de peixes do mundo. O problema não é tanto o gosto, mas o cheiro que toma conta da casa e incomoda meu olfato sensível. Já tentei comer frito, ensopado, assado e nenhum deles me agrada muito. Tenho apenas duas exceções: salmão (em especial em rodízio de comida japonesa) e bacalhau – esse sim eu acho delicioso e o cheiro é muito suave.

Como ultimamente tenho tentado evitar comer carne vermelha com tanta frequência e estou meio enjoada do frango, me propus a tentar inserir peixe na minha rotina alimentar pelo menos uma vez por semana. Além disso, não é novidade que os peixes são ricos em nutrientes, têm gordura boa e possui o famoso complexo ômega-3 (ácido graxo importante para as atividades do cérebro e do coração).

Essa receita é da Rita Lobo (adaptada daqui) que é chef de mão cheia e apresenta um dos melhores (o melhor, na minha opinião) programas de culinária nacional com receitas simples e práticas.

Vamos aos ingredientes?

1 cebola grande cortada em rodelas

500g de batata

1 tomate grande cortado em rodelas

1 pimentão da sua preferência cortado em rodelas (despreze o miolo e as sementes)

Azeitonas a gosto

500g de bacalhau

125ml de azeite

Comece descascando as batatas e colocando-as para cozinhar (em água salgada). Quando levantar fervura, deixe cozinhar por 10 minutos, escorra e espere esfriar.

Corte a cebola, o pimentão e o tomate em rodelas e reserve.

Dessalgue o bacalhau por 24 horas, trocando a água a cada 5 horas. Eu usei bacalhau em lascas, mas você pode usar em postas também. Com o peixe já dessalgado, coloque em uma panela cubra com água e deixe ferver por 5 minutos. Escorra e reserve.

Comece a montagem colocando primeiro o bacalhau no fundo do refratário seguido pelos outros ingredientes – aqui eu fiz assim: bacalhau, pimentão, cebola, tomate, batata e por fim azeitonas – regue com o azeite (eu usei um azeite de ervas maravilhoso que vou dar a receita em outro post) e salpique ervas de sua preferência em cima (usei chimichurri*).

Cubra com papel alumínio e leve para assar em forno preaquecido em 180⁰ por 40 minutos **. Retire o papel e deixe por mais 20 minutos.

*chimichurri é uma mistura de ervas desidratadas que você encontra pronto para comprar e contém:  cebola, alho, salsa, pimentão, orégano, cebolinha, mostarda, tomate, manjericão, pimenta calabresa, louro e noz moscada

** na receita original diz que são 30 minutos de forno e mais 15 minutos para gratinar. Mas cada forno é diferente e a temperatura e umidade do dia também influenciam.  Precisei de mais tempo, então fique de olho!

Ah e eu não usei sal nenhum nessa receita além do que foi usado para salgar a água em que as batatas cozinharam e não achei que foi preciso acrescentar no final.

Ficou ou não ficou bonito?

Bom apetite!

Lombo ao molho barbecue

23 maio

lombobarbecue
Clique para ver a foto maior

Esse é um prato simples de fazer e uma delícia, com cara (e gosto) de comida caseira. E é definitivamente o tipo de comida que mais me agrada, que não tem que sujar muitas panelas, nem gasto o dia inteiro pra fazer e que, claro, fique saborosa ao final de tudo.
A receita do molho barbecue é daqui e originalmente foi feita para acompanhar uma costelinha, mas com o lombinho também ficou muito bom.

Comecei temperando 400 g de lombinho com sal, alho, limão, pimenta do reino, 1 colher de sopa de mostarda e 1 colher de sopa de mel e deixei marinando por 2 horas (se for de um dia pro outro, fica ainda melhor). Cortei o lombinho em tirinhas e coloquei para cozinhar por 40 minutos (carne de porco tem que ser sempre bem cozida por causa da salmonella).

Enquanto isso preparei o molho: coloque para refogar 1 cebola e 1 dente de alho picadinhos, adicione 150 ml de vinagre de vinho tinto e espere o álcool evaporar. Some 4 colheres de sopa de açúcar (usei mascavo) e mexa bem. Depois acrescente meia xícara (125 ml) de molho de tomate e a mesma medida de ketchup.

Eu coloquei também 2 folhas de louro e 2 cravos, mas a quantidade desses 2 ingredientes é a gosto do freguês. Mexa e junte a mistura 150 ml de refrigerante de cola (a receita original pede de 50 a 100 ml, mas eu achei pouco e adicionei um pouco mais) espere ferver e evaporar os gases. Prove e acerte o sal e a pimenta.  A textura do molho deve ser um pouco mais líquida que a de um ketchup.

Misture esse molho ao lombinho e sirva. Essa receita servem duas pessoas.

Bom apetite!

Risoto de pequi com gruyère

17 maio

risoto

clique para ver as fotos maiores

Nunca encontrei alguém que fosse indiferente ao pequi, ou a pessoa ama ou odeia. Eu como boa goiana, sou do time das que amam. Além disso tem uma carga emocional gigantesca pra mim, remete a minha infância e aos almoços deliciosos de domingo que a minha mãe fazia (e ainda faz) com angu de milho verde, arroz com pequi e frango ensopado.
Pra quem não conhece, pequi é um fruto característico do cerrado brasileiro e apesar de ser encontrado em outros estados é considerado um prato típico da culinária goiana. Nessa receita, eu usei o fruto na forma de conserva e somente a polpa, sem o caroço. Achei o sabor e aroma incomparavelmente mais suaves do que o fruto in natura e isso pode ser um ponto positivo para aquelas pessoas mais sensíveis a cheiros e gostos mais marcantes.
Vamos à receita?

montagem

Comece colocando para ferver em fogo baixo 1 litro de caldo de legumes (você pode usar o caseiro ou dissolver 1 tablete de caldo de legumes em 1 litro de água). Em outra panela, refogue uma cebola em cubinhos pequenos (usei a roxa, mas serve qualquer uma) e um dente de alho em cubinhos.
Em seguida, adicione uma xícara e meia de arroz arbóreo, 100 gramas do pequi em conserva e refogue por cerca de 1 minuto. Adicione uma concha do caldo de legumes que a essa altura já deve estar fervendo e mexa, sem parar, até que esse caldo quase seque. Repita esse procedimento até que o arroz esteja cozido. É importante que o fogo se mantenha sempre baixo.
No final, desligue o fogo, adicione 100 gramas de queijo ralado e uma generosa colher de manteiga (para dar cremosidade) misture, e sirva imediatamente. Risoto só fica gostoso se comer na hora que fica pronto.
Eu usei o queijo gruyère porque era o que tinha em casa e você pode substituí-lo por qualquer outro de sua preferência, mas eu achei que o sabor ligeiramente adocicado e delicado desse queijo, casou perfeitamente com a receita. Essa quantidade que fiz servem duas pessoas.
Sirva acompanhado de uma boa carne grelhada, legumes no vapor e não precisa de mais nada.
Bom apetite!